ATALHOS EM FILOSOFIA CLÍNICA

“Caminhos secundários, derivados de um principal, pelo qual se encurtam distâncias ou se chega mais rapidamente ao lugar de destino; maneira de se conseguir alguma coisa em menor tempo ou com menor esforço do que por meios normais.” (Dic. Houaiss da L. Port. – 2002).

Em Filosofia Clínica, ATALHO é um SUBMODO, i.é, os modos, as maneiras subjacentes, inerentes ao ser/estar da pessoa, as diversas formas que o PARTILHANTE tem de pensar/agir diante das suas questões e das situações diversas que vive.

São também os modos que o Filósofo Clínico vai usar para trabalhar as questões determinantes na ESTRUTURA DA PENSAMENTO da pessoa. “É o caminho criativo, a solução inesperada, uma outra opção para o dilema. (…) Juntar os dados disponíveis para criar soluções diferentes das já existentes.” (AIUB, 2004).
Necessariamente não é um “caminho menor”, mas construção de novas formas de melhor articular o ser/existir. De sintonizar a existência.

Aqui, fazemos uso desse vocábulo no intuito de oferecer pequenos textos como formas de “atalhar”, para introduzir as pessoas nos conceitos, textos e contextos da Filosofia e da Filosofia Clínica.